Pré-vendas

Capa
TEMAS DE ÈTICA B.Felix,A./Otero,P./Afonso,P./Gil,V. (PRINCIPIA)
Reflexões e Desafios
"Passado o tempo das revoluções, em que a brutalidade do sangue derramado era o próprio sustento das mudanças […] estamos a viver uma verdadeira revolução cultural, que é insidiosa, mas persistente e com não menor profundidade. Muitas decisões, com fortíssimas implicações sociais, pessoais e até civilizacionais, são tomadas sem uma reflexão consistente que mobilize a inteligência e a cultura nos limites do possível. Vivemos uma inundação de um relativismo frequentemente imediatista, aceite tantas vezes por inércia ou incapacidade de produzir pensa-mento. Surgem novas ideologias que rapidamente se tornam moda como que preenchendo um vácuo em tantos que, na correria barulhenta, deixam atrás de si e dentro de si um rasto de quase nada. […] A ética, mais ainda que o direito que ela própria devia inspirar, tem de continuar a ser o alicerce fundador da cidade. A ética, tantas vezes arredada das decisões, tem de ser convocada sempre. Precisamos de parar. Precisamos de silêncio que permita ouvir a voz do pensamento. Este livro é um apelo e um apego à lucidez. […]"
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
A Princesa Magalona Clara Cunha (ALFARROBA)
Magalona é um princesa, mas não gosta de o ser!
Magalona é um princesa, mas não gosta de o ser! Acha a realeza aborrecida e enfadonha no seu modo de viver! Este livro volta agora a ser lançado no mercado.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
O Coração é Puta Sempre à Espera Maria Jorge Teixeira (ALFARROBA)
Nada vale a pena além do bater do coração.
Um dia, quando eu morrer, recortem da minha passagem alguns momentos. Deixem a flutuar aos ventos da memória as folhas do álbum onde se cristalizem os sorrisos, os suspiros, as gargalhadas, os abraços, o rubor das bandeiras, a ternura, o colo, a pele, a sede, as lágrimas e as eternas crenças dos meninos. Deitem fora tudo o resto. Nada vale a pena além do bater do coração. Um livro sempre atual e que volta agora a ser lançado no mercado.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
LÁPIS - UMA HISTÓRIA PARA LER E SENTIR Colégio Internacional de Vilamoura (ALFARROBA)
Uma história para ler e sentir
Lápis é uma história que pretende ajudar na construção de pessoas felizes. Pretende guiar-nos pelos meandros do amor-próprio até àquele auto-abraço necessário para sermos felizes. Porque pessoas felizes não são bullies e pessoas felizes estão mais imunes a ser vítimas de bullying. Na base de uma má relação com o outro, está em primeiro lugar uma frágil relação connosco mesmos. Lápis pretende mimar-nos para que percebamos a nossa unicidade e como isso faz de nós pessoas especiais.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
Nós e o ambiente Clara Da Silva, Ana (ALFARROBA)
Esta é a história de um jovem destemido e audaz, movido por um propósito...
Miguel era um doce rapaz que, apesar da sua tenra idade, fazia tudo o que podia para ajudar o meio ambiente, mas em vão. Sozinho nunca conseguiria mudar o mundo. Certo dia, ao sair de casa apressado rumo à escola, avistou algo muito estranho… O rapaz estava incrédulo, não conseguia acreditar naquilo que os seus olhos viam! Perguntava-se sobre como era possível algo assim acontecer em pleno século XXI. No entanto, todos aqueles que se encontravam à sua volta, pareciam indiferentes à situação que ali se passava, ainda que a mesma comprometesse o futuro da humanidade. Contando sempre com a ajuda de Matilde, uma amiga muito especial, Miguel provou que, afinal, cada um de nós pode mudar o mundo com o mais simples dos gestos! Esta é a história de um jovem destemido e audaz, movido por um propósito que a todos diz respeito.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
SUSPIRO - O LIVRO QUE QUERIA SER (TAMBÈM) FELIZ DANTAS, AUGUSTA (ALFARROBA)
O livro que queria ser (também) feliz
Era uma vez… um livro chamado Suspiro Feliz, que tinha uma história de felicidade para contar. Gostava de imaginar um lugar mágico, no meio das nuvens, onde os livros viviam saltitantes e alegres por todo o lado! Um sítio onde ele pudesse também ser feliz. Mas tinha medo. Suspiro percebe que não quer ficar sem tentar e decide meter páginas à obra e criar uma geringonça que lhe permita voar bem alto. Será que consegue?
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
O BAÚ DOS PAPELINHOS DE DONA INÁCIA, PRAZEIRA DE MANICA Mora Ramos, Jose (PARTENON EDIÇOES)
O Baú dos Papelinhos de Dona Inácia, Prazeira de Manica
O Baú dos Papelinhos de Dona Inácia, Prazeira de Manica é uma revisitação ficcionada da fase final do colonialismo português em Moçambique, através da construção da vida de Inácia, mulher determinada, independente, corajosa, leitora obsessiva de tudo o que podia, assim minimizando o isolamento do mundo em que a colónia vivia. Inácia, mulher muito à frente do seu tempo, nunca poderia ter existido naquele Moçambique, naquele tempo, mas se o pudesse teria sido como a neta, Carolina, a imaginou, ao narrar a sua vida a partir do acervo dos escritos em papelinhos soltos, deitados pela avó, ao longo de cinquenta anos, para dentro do baú de chanfuta. Chegada a Lourenço Marques em 1926, para casar por fotografia, assim procurando fugir à miséria e à vida sem horizontes a que em Portugal estava destinada, Inácia vive os primeiros anos na capital, depois no Xai-Xai, mais tarde em Manica, onde se torna dona de uma farme e ganha o título de Prazeira de Manica, regressando ao pais onde nascera, mas que deixara de ser o seu, em 1975.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
ATAS DA CONFERÊNCIA NACIONAL Braga Da Cruz, Manuel (PRINCIPIA)
«150 Anos de Alfredo da Silva»
O presente livro reúne os textos da conferência realizada na Fundação Calouste Gulbenkian para assinalar o encerramento das comemorações dos 150 anos do nascimento de Alfredo da Silva. Num país maioritariamente rural, de industrialização lenta e tardia, Alfredo da Silva apostou no desenvolvimento da indústria química e têxtil, contribuindo com os adubos para a modernização da agricultura. A CUF depressa se tornou no maior grupo económico português e num dos maiores da Europa, incorporando progressivamente novos sectores de atividade e inovando também na área da gestão empresarial pela contratação dos melhores profissionais e pela criação de uma verdadeira escola de Gestão em Portugal. Em poucos anos, tornou-se num grande conjunto empresarial com dezenas de milhares de empregados e trabalhadores e dotou-se de um complexo de instituições sociais e serviços sociais exemplares que contribuíram para uma maior consciência da responsabilidade social das empresas.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
CORRESPONDÊNCIA GERAL Andaluz, Luiza (LUCERNA)
Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima
Este volume reúne a correspondência de âmbito familiar, eclesial e institucional que Luiza Andaluz, a fundadora da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, endereçou a diversas pessoas e instituições. São assim publicadas 281 cartas inéditas, escritas entre 1905 e 1971, que revelam Luiza Andaluz no seu quotidiano, na sua forma de se relacionar com diferentes pessoas dos mais variados quadrantes, em diferentes línguas e sobre um abrangente leque de assuntos.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
Adriano Correia de Oliveira, 1942-1982 CORREIA, MARIO (ESTRATEGIAS CRIATIVAS)
“Venho dizer-vos que não tenho medo... A verdade é mais forte que as algemas..."
“Venho dizer-vos que não tenho medo... A verdade é mais forte que as algemas..." Nunca um cantor tão legitimamente se apropriou dos versos de um poeta para tão singularmente definir o caminho percorrido ao longo da sua vida: esta foi sempre a atitude de Adriano Correia de Oliveira em tempos de resistência, antes e depois do abril tão desejado e do qual ele foi o mais corajoso capitão das canções. Das nossas canções. Das canções da liberdade desejada. (...)
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
NUVEM SEM ÁGUA NÃO CHORA Trindade, Arnaldo (ESTRATEGIAS CRIATIVAS)
Livro de poesia
em arfando o vento em ti a sal o sabor de teu corpo é tempo de tuas feridas d´alma lamberes … que o tempo não se mede em minutos segundos mede-se em momentos … em tormentos
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
Jogos de Xadrez e da Vida TRINDADE, ARNALDO (ESTRATEGIAS CRIATIVAS)
Livro de poesia
(…) Estas palavras são para ti minha filha São palavras de inverno de um velho urso a hibernar Para uma andorinha na primavera a esvoaçar… Perguntas-me muitas vezes se o amor verdadeiro vais encontrar Lembra-te de Godot com tantos a esperar e ninguém o viu chegar Muitos amores terás muitos encontrarás (…) Se tiver que acontecer acontecerá Não o procures que o vais encontrar mas lembra-te o que teu pai te diz com amor – o amor-perfeito é só um nome de uma flor
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
LIVRO DA ESCADA DE MAOMÈ P.Mendes,F./R. Miranda,Jose C. (ESTRATEGIAS CRIATIVAS)
Versão da autoria de Afonso X, o Sábio
"Gabriel tomou-me pela mão e levou-me para fora do templo, e mostrou-me uma escada que vinha do primeiro céu até à terra, onde eu estava.E ela era a coisa mais linda que eu jamais havia visto; os pés desta escada estavam apoiados naquela pedra, sobre a qual eu me havia apeado anteriormente, e os degraus eram da seguinte maneira: o primeiro era de rubi, o segundo de esmeralda, o terceiro de pérola branca, e cada um dos outros de pedras preciosas, de diferentes naturezas, tão ricamente trabalhados com fino ouro ou pérolas, que nenhum coração de homem poderia pensar; e eram todos cobertos de uma seda verde mais clara que a esmeralda; e estava envolta por anjos que a protegiam e o brilho era tanto que só com muita dificuldade era possível enxergá-la. E então Gabriel tomou-me pela mão, e levantou-me do chão e colocoume sobre o primeiro degrau da escada e disse-me: «Sobe, Maomé»; e eu subi e Gabriel junto comigo, e todos os anjos me acompanharam, aqueles que eram protetores da escada; e Gabriel contou-me muitas boas novas do bem supremo, que Nosso Senhor me havia preparado.”
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
Tao Ollé, Manel (AKIARA)
Como iniciar as crianças na filosofia do taoismo?
Através de fragmentos selecionados do Livro do Tao que falam sobre rios, casas, copos ou árvores, descobrirão que o sábio não é sempre o mais forte e poderoso, mas antes um barqueiro que sabe aproveitar as correntes do rio, alguém leve e flexível como um bambu, que faz sem fazer e ensina sem querer, que avança sem seguir caminhos nem pegadas e nunca se perde.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
porque choramos? Pintadera, Fran/Sender, Ana (AKIARA)
"Porque choramos?", pergunta o Mário à mãe.
E ela fala-lhe de nuvens, de mar, de pedras, de cofres e de muros. Um poético álbum ilustrado que nos lembra que as lágrimas nos regam muito lentamente e ajudam a crescer, acalmam-nos e são um bálsamo para as feridas. E que todos choramos: meninas e meninos, novos e velhos, altos e baixos…
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
de onde vêm as ideias? Amenos, Jordi/Arrayas, Albert (AKIARA)
Num dia chuvoso, a Júlia ficou em casa com os amigos e começaram a desenhar.
Num dia chuvoso, a Júlia ficou em casa com os amigos e começaram a desenhar. De repente, a Júlia ficou em branco! Perguntou aos outros de onde vêm as ideias, mas ninguém lhe soube responder. O Luke decide levá-los ao bosque, onde iniciarão um caminho que os ajudará a entender o que é preciso fazer para que surjam ideias novas, bonitas, poéticas e divertidas. Um livro maravilhoso sobre a inspiração e a irrupção da criatividade.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
IOGA Raventós, Míriam (AKIARA)
Consegues fazer muitas coisas ao mesmo tempo?
Assim começa uma fantástica viagem às origens do ioga, às motivações que levaram aqueles homens da Índia a tentarem fazer apenas uma coisa, a mais simples, a mais natural, uma única coisa e mais nada.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
a tua canção Castelo-branco, Ines/Ella Carrera, Maria (AKIARA)
Adaptação de um conto africano por Inês Castel-Branco
Diz a lenda que numa tribo de África, quando uma mulher sabe que está à espera de um filho, apressa-se a dizê-lo às outras mulheres. Elas acreditam que cada pessoa tem uma canção só sua, a Canção da Vida. Por isso, passados alguns dias, logo pela manhã, entram na selva para descobrirem, juntas, a canção do novo ser. Um conto para nos lembrar de que, antes de chegarmos a este mundo, já éramos esperados, sonhados, amados. E que cada ser tem uma canção, um nome, uma vibração especial que o torna único.
LANÇAMENTO: 30/06/2022
Capa
A MORTE DA MÃE DE CHARLOT Garcia Lorca, Federico (EDIÇOES GALLO DE ORO)
Estamos perante um texto incompleto mas de grande beleza.
A morte da mãe de Charlot é sobretudo um exercício estético, uma obra de experimentação. Estamos perante um texto incompleto mas de grande beleza. Em A morte da mãe de Charlot, Lorca faz a tentativa de se distanciar da falsa imagem que lhe tinha sido atribuída. Foi escrito poucos dias depois da morte da mãe de Charles Chaplin. Destaca-se o acentuado contraste entre a mãe morta e o filho, há uma oposição entre as antigas e as novas estéticas, onde a mãe representa o teatro e o filho representa o cinema. Cheio de humor negro, comentários disparatados e imagens surrealistas, detrás de tudo isto encontra-se uma crítica à sociedade capitalista americana, descrita como desumanizada e cruel.
LANÇAMENTO: 30/06/2022